Atum

Peixes da família Scombridae, os tipos mais comuns de Atum (Thunnus spp) na costa brasileria são a Albacora ou Albacore (Thunnus albacares) e o Atum ou Tuna (Thunnus atlanticus). A coloração é em geral azul-escuro no dorso e prata na porção inferior dos flancos e no ventre. São considerados pelos estudiosos como os peixes que possuem o corpo mais hidrodinâmico dentre as formas existentes (o corpo é fusiforme e o pedúnculo caudal bastante estreito). São peixes que nadam em cardumes numerosos, muitas vezes mistos entre duas ou mais espécies de atum. Podem estar acompanhados de golfinhos e até baleias.

tuna_001.jpg

Uma característica destes peixes é que, devido aos mecanismos fisiológicos (“rete mirabile”, um emaranhado de vasos sanguíneos), a temperatura do corpo pode chegar a ficar de 10 a 15ºC mais alta que a água ao seu redor. Peixes de tamanho variável de acordo com a espécie, atinge pesos entre 50 e mais de 600 quilos (Atum-azul).

atum_04.jpg

São carnívoros, com preferência por peixes e moluscos (lulas). Não costumam se aproximar da costa, a não ser que a área seja muito profunda, sendo mais típicos em mar aberto. Encontram-se ao longo dos mares de todo o mundo, mas é de acordo com a temperatura das águas que se dá a distribuição dos diferentes tipos, assim como acontece com as demais espécies oceânicas. Por exemplo, as Albacoras vivem em águas mais quentes, com temperatura por volta dos 25ºC a 27ºC. Por essa razão são encontradas mais próximas da linha do equador.

thunnus_albacares.jpg

albacora/atum amarelo Thunnus albacares

O atum-azul, o maior representante do grupo, prefere águas mais geladas, perto dos 18 a 20ºC. Existem também espécies que têm preferência por temperaturas específicas e intermediárias entre estas, mas no geral a maioria das espécies de atum prefere águas mais quentes. São importantes na pesca esportiva e comercial, principalmente para a indústria pesqueira.

atum_azul.jpg

Algumas espécies são vulneráveis devido à intensa pesca comercial. A que corre maior risco é o Atum-azul (Thunnus thynnus).   

Podem ser encontrados em toda a costa brasileira, com ênfase na Região Nordeste e partes do Sul e Sudeste.

Por serem espécies de grande porte e muito ativas, os equipamentos são do tipo pesado. As linhas variam de 20 a 100 lb ou mais e os anzóis de nº 3/0 a 8/0.

atum_031.jpg

atunzinho/albacorinha Thunnus atlanticus.

Em sua pesca, as iscas naturais mais usadas são lulas e peixes pelágicos, entre eles sardinha, parati e peixe voador, muito apreciado. Também pegam muito bem em iscas artificiais, como plugs de meia água, metais jigs, lulas sintéticas e colheres.

atum_02.jpg

Dicas de pesca: Observe movimentação de aves e golfinhos se alimentando na superfície.  Muitas vezes os cardumes de Atuns ficam atacando os pequenos peixes por baixo.   

No caso do pesque-e-solte é aconselhável usar linha mais grossa para diminuir o tempo de briga.

atum_05.jpg

Recorde: – 176.35 kg/ 388 lb 12 oz para a albacora/atum amarelo Thunnus albacares.
– 20,63 kg/45 lb 8oz para o atunzinho/albacorinha Thunnus atlanticus.

5 Responses to “Atum”

  1. Adorei, saber um pouco mas sobre esta especie de Atum.

  2. Excelente materia…. e otimo site. Este foi o meu primeiro acesso e, depois do que acabei de ver, com certeza não será o ultimo.

  3. Gostaria de saber se o atum é um peixe de couro ou de escamas. Gostaria que alguém deixasse um recado com a resposta.

  4. Bom lembrar que o atum-azul está quase em extinção!

  5. Essa matéria me ajudou muito na pesquisa sobre Atum que eu estava fazendo!

Deixe seu comentário