Traíra

Peixe de escamas da família Erythrynidae, a Traíra (Hoplias malabaricus) possui corpo cilíndrico e alongado, como um torpedo. Boca grande com dentes caninos bastante afiados, olhos grandes e nadadeiras arredondadas, exceto a dorsal. Possui a língua áspera, com dentículos. Apresenta cor discreta, sendo geralmente marrom, preta ou em tons de verde manchada de cinza, podendo alterá-la um pouco, em função de fatores ambientais. Chega a alcançar cerca de 60cm de comprimento total e 3kg.

traira_2343.jpg

Hoplias malabaricus

Predador voraz e solitário, caça de emboscada. É ativo praticamente o dia todo, mas prefere horários crepusculares, sobretudo ao anoitecer. Quando uma possível presa se aproxima de sua área de alcance, que geralmente é inferior a um metro, a traíra ataca partindo de quase total imobilidade, dando um bote fulminante, absolutamente explosivo.

hoplias-b.jpg

Sua grande e forte boca, dotada de pontiagudíssimos dentes,
agarra e mantém fortemente apertada e presa sua vítima.
Engole inteiro, mas demorando muitos minutos neste processo, se sua vítima for grande. Ela normalmente ataca presas que lhe cabem longitudinalmente na boca, não importando seu comprimento. Por esta regra, uma traíra pode comer outra com a metade do seu tamanho, ou até mais.

traira203894.jpg

Ela regula sua bexiga natatória para pairar no meio da massa d’água, mas geralmente fica encostada ao fundo em meio à vegetação aquática, próxima a barrancos, ou quase encostadas sob galhos submersos.

traira_90831.jpg

Prefere águas paradas (lênticas), dando-se muito bem em lagos, lagoas, brejos, matas inundadas, em córregos e igarapés, mas está presente nos rios com constância, situando-se predominantemente nos remansos deste.

Apesar do excesso de espinhas, em alguma regiões é bastante apreciado como alimento.

traira_06.jpg

O equipamento indicado é do tipo leve, linhas de 10 a 20 libras com anzóis de n° 1/0 a 6/0. Importante e indispensável uso de empates de aço.

Pode ser capturada com iscas naturais de peixes (em postas, filés ou inteiros),  miúdo de frango e minhoca. As iscas artificiais como spinnerbaits, spinners, poppers e sapos de borracha também são muito utilizadas.

1471005762_4b26fc040c.jpg

Dicas de pesca: Ao pescar com iscas naturais, use chumbo acima da isca e bata na água com a ponta da vara umas 3 ou 4 vezes com movimentos rápidos. O barulho atrai as traíras e torna a pesca mais produtiva.

Muito cuidado ao retirar o anzol da boca da traíra porque a mordida é forte e os dentes afiados.

Recorde: Hoplias malabaricus – Traíra – 1,41kg/3lb 2 oz.

3 Responses to “Traíra”

  1. Parabéns, muito boa a matéria.

    Estou saindo com meus caniços para uma semana na lagoa dos patos e vou atraz de traíras principalmente.

    Um abraço.

    joe.

  2. parabens pela materia sobre as traira;gosto muito de pesca-los mas tambem de apreciar sua carne.gostaria de conhesser novas tecnicas de pesca de traira;se algum amigo tiver algo novo publique aqui

  3. O pessoal que não aprecia a traíra é porque não sabe prepará-la adequadamente cortando seus espinhos. É um dos peixes mais gostosos que já comi.

Deixe seu comentário