Pirarara

Peixe de couro da família dos Pimolidedae, a Pirarara (Phractocephalus hemioliopterus) possui cabeça bem grande e larga, ocupando cerca de 1/3 do comprimento total. A boca é bem ampla. Possui uma grande placa nucal, que a diferencia dos demais pimelodídeos. O corpo é roliço, com perfil arredondado e ventre convexo ou achatado. A cor geral do dorso é marrom ou preta, podendo apresentar um certo tom esverdeado, dependendo da região. O ventre é amarelo, muitas vezes com manchas pretas. A nadadeira caudal é truncada e se apresenta em um vermelho vivo. Emite som característico assim que sai da água, semelhante a um bufo. Peixe de grande porte, pode passar de 1,5 m de comprimento, e cerca de 80 kg.

pirarara_041.jpg

Phractocephalus hemioliopterus

Segundo relatos de muitos ribeirinhos de diversas regiões da imensa bacia, entre os povos da Amazônia, a Pirarara tem a má reputação de desferir ataques a seres humanos, chegando até a causar mortes por afogamento.

pirarara_07.jpg

Espécie onívora, com preferência carnívora, em especial por peixes que se alimenta freqüentemente, mas também não rejeita moluscos, crustáceos, entre outros. Uma curiosidade é o fato de se alimentar de frutos da vegetação marginal inundada (igapós) durante o período de cheia, como os frutos de certas palmeiras, como o jauari.

pirarara_061.jpg

Ocorre em rios das bacias Amazônica e do Tocantins-Araguaia, onde podem ser encontrados no leito dos rios, poços e eventualmente no interior de lagos, em áreas quase sempre associadas com matéria vegetal, como troncos e galhadas submersas.

pirarara_05.jpg

Ao fisgar uma Pirarara, é muito fácil idêntificá-la, pois costuma sair em disparada tomando grandes quantidades de linha como nenhum outro tipo de bagre faz. Possui muita força, que aliada a um grande fôlego e também pelo fato de “brigar sujo” (buscando refúgio em troncos ou galhadas) torna sua captura um grande desafio. É pescada o ano todo, preferêncialmente nos meses de vazante e seca.

pirarara_10.jpg

O equipamento mais indicado para essa pescaria inclui varas de ação extra-pesada, linhas de 0,70 a 1,20 milímetros, preparadas com empates e anzóis n° 10/0 a 14/0.

pirarara_09.jpg

Dicas de pesca: A modalidade de pesca é praticada com iscas naturais, muito embora seja capturada com certa freqüência com metal jigs. O equipamento deve ser reforçado, já que briga sujo buscando enrroscos, o que justifica um reforço a mais.

pirarara_08.jpg

As iscas de peixes são as favoritas. Também pode ser capturada com iscas artificiais trabalhadas mais ao fundo, como iscas afundativas de barbela, tube jigs e jumping jigs.

Deixe seu comentário